NTM - Núcleo de Tecnologia de São José- SC

O Núcleo de tecnologia disponibiliza aos educadores e demais integrantes da Web este blog com objetivo de divulgar tecnologias que podem auxiliar na educação dos alunos. Postamos também projetos e notícias relativas a rede municipal de ensino de São José, SC. Existem dezenas de postagens e soluções para contribuir no seu dia a dia, vale apena conferir. Você pode traduzir as postagens em vários idiomas!


sexta-feira, 21 de julho de 2017

Why we need to imagine different futures | Anab Jain - Legendado



Anab Jain brings the future to life, creating experiences where people can touch, see and feel the potential of the world we're creating. Do we want a world where intelligent machines patrol our streets, for instance, or where our genetic heritage determines our health care? Jain's projects show why it's important to fight for the world we want. Catch a glimpse of possible futures in this eye-opening talk.



quarta-feira, 19 de julho de 2017

Harvard Professor, "We are Building Artificial Brains and Uploading Minds to Cloud right now" - Legendado



David Cox, Assistant Professor of Molecular and Cellular Biology and Computer Science at Harvard, explains how his lab is working with others to reverse engineer how brains learn, starting with rats. The fast-advancing fields of neuroscience and computer science are on a collision course. By shedding light on what our machine learning algorithms are currently missing, this work promises to improve the capabilities of robots – with implications for jobs, laws and ethics.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=amwyBmWxESA

terça-feira, 18 de julho de 2017

A Humanidade Vista do Espaço NatGeo mostram com todo o detalhe o funcionamento dos processos que mantém a vida em nossa planeta e que são invisíveis- Dublado HD - subtitled


O vídeo acima A Terra Vista do Espaço, trata-se de ótimo documentário do canal NatGeo, que une "imagens criadas virtualmente, transformando as informações obtidas pelos satélites - apenas espectros visíveis - em animações em alta definição que mostram com todo o detalhe o funcionamento dos processos que mantém a vida em nossa planeta e que são invisíveis". Um fabuloso material com "imagens verdadeiramente únicas, [que ] exploram os mais profundos mistérios da sua existência, levantando questões e desafiando o que sabíamos sobre os mecanismos da Terra". O NatGeo uniu esforços com a NASA e com os melhores cientistas do mundo para poder levar a cabo esta incrível jornada, quase épica. Agricultura, linhas elétricas, internet, transportes, estradas como você nunca viu antes.






Fonte: http://educa-tube.blogspot.com.br/2014/01/a-terra-vista-do-espaco-documentario-do.html

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=fak5VEVNeTg

Modos de restaurar as florestas - Pesquisa Fapesp - subtitled




Com o início do Programa de Regularização Ambiental, os proprietários rurais serão obrigados a restaurar áreas desmatadas ilegalmente no passado. O professor da Esalq-USP Ricardo Rodrigues e o diretor do Instituto de Botânica de São Paulo Luiz Mauro Barbosa apresentam uma nova metodologia de recobrimento de floresta, mais eficiente e com menor custos.

Saiba mais em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2015...

Obtenha a publicação
“Lista de espécies indicadas para restauração ecológica para diversas regiões do estado de São Paulo”:
http://www.ambiente.sp.gov.br/institu...

Obtenha a publicação
“Implantação de viveiro de mudas — manual de orientação”:
http://www.ambiente.sp.gov.br/cea/fil...


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=a2ygqm4UOkI

Internet Revelada - um filme sobre a Internet e os Pontos de Troca de Tráfego (PTTs) NICbrvideos




O vídeo, narrado em português, apresenta o conceito de "troca de tráfego" e dos "pontos de troca de tráfego", essenciais para o funcionamento da Internet. Ganhador de um concurso promovido pela associação de PTTs EuroIX, e traduzido pelo NIC.br, o vídeo mostra que a Internet funciona por conta da cooperação entre seus participantes.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=QXUpRg29iZQ

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Jogo simula atuação do Executivo, Legislativo e Judiciário para ensinar política


Cerca de 800 estudantes e cem professores já participaram do Jogo da Política, lançado em junho com objetivo de debater o tema com jovens do ensino médio

por Fernanda Nogueira 13 de julho de 2017


Um jogo que simula os problemas reais do Executivo, do Legislativo e do Judiciário foi a forma encontrada por instituições sociais para ensinar política para os jovens brasileiros. O Jogo da Política nasceu há dois anos após o resultado da pesquisa Sonho Brasileiro da Política mostrar que 64% dos 1.400 entrevistados, de 18 a 32 anos, achavam que política tinha que ser discutida nas escolas.

A partir desta informação, as pesquisadoras Carla Mayumi e Beatriz Pedreira, responsáveis pelo estudo, se uniram à agência escola de jornalismo Enóis Inteligência Jovem e ao laboratório de cultura digital LabHacker, representado pelo ativista social Pedro Markun, e desenvolveram, com a ajuda de um designer, um protótipo de metodologia para ensinar política nas escolas.

Foram criados três jogos, um para cada poder, durante imersões feitas com jovens de diferentes idades e classes sociais. No ano passado, o grupo passou a contar com a coordenação pedagógica da educadora Denise Curi, que elaborou um manual para professores. Desde então, cerca de 800 estudantes e cem educadores já participaram do jogo, lançado oficialmente na Câmara Municipal de São Paulo em 2 de junho deste ano.
Cada jogo tem uma dinâmica própria. No jogo do Executivo, os jovens aprendem a organizar e distribuir o orçamento de uma cidade. Primeiro, imaginam como dividiriam o valor disponível de acordo com o que acreditam que seria o correto. Depois, começam a ter que lidar com as limitações. Não podem tirar dinheiro da previdência e do salário dos funcionários, por exemplo. Percebem que precisam fazer escolhas difíceis, que refletem a visão de mundo de cada um.

No jogo do Legislativo, o trabalho é criar um projeto de lei. Algumas fotos trazem cenas em que é possível ver quais leis estão sendo cumpridas ou não. Há uma discussão sobre as leis que regem a nossa vida e sobre onde estão escritas. Os jovens são convidados a redigir dez leis para uma cidade fictícia. Têm que debater, descobrir quais delas são fundamentais, o que precisa estar lá. Eles precisam argumentar para explicar seus motivos e escrever de forma clara. Com isso, percebem a dificuldade do trabalho de um vereador e de um deputado. Eles também se dividem em partidos e votam de acordo com eles.
O jogo do Judiciário aborda a justiça criminal. Estão presentes em um julgamento fictício o juiz, a promotoria, a acusação, a defesa, o júri e a imprensa. Cada um interpreta seu papel. Há evidências, provas, indícios, suspeitas. Os jovens têm que escrever, argumentar e explicar suas ideias. Entre outros temas, discutem questões como poder da mídia e verdade.

“É um jogo interdisciplinar, que aborda a complexidade da política de um jeito prático. Mostra como funcionam as regras do jogo, as dificuldades, a prática, a realidade. Simula o fazer político. Desenvolve empatia pela política e pelos políticos. O jovem aprende quem é responsável pelo quê. Em um momento de crise como o atual, principalmente na política, é fundamental entender para fazer críticas e escolhas”, explica Denise Curi.
De acordo com a educadora, o jogo está alinhado com os quatro pilares da educação da Unesco: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Trabalha também os eixos cognitivos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – dominar linguagens, compreender fenômenos, enfrentar situações-problema, construir argumentações e elaborar propostas.

Na fase de testes, o jogo passou por algumas cidades do país. Em São Paulo, esteve em escolas públicas, como a Escola Estadual Amélia Kerr e a Escola Estadual Caetano de Campos, e particulares, como o Colégio Madre Cabrini – onde os alunos propuseram a criação de um quarto jogo, o das eleições -, o Bandeirantes e a Escola Nossa Senhora das Graças, o Gracinha, além de instituições como o Instituto Alana e a ONG CTC Digital. “Conversar com escolas e universidades que estão pensando em integrar o jogo ao currículo é maravilhoso. É o que a gente sonhou”, diz Carla Mayumi.

Nas cidades de Gavião Peixoto (SP) e Monte Carmelo (MG), o jogo chegou no ônibus Hacker, do Lab Hacker, em uma viagem que teve como destino final a capital Brasília em agosto de 2015. Em Gavião Peixoto, uma turma de alunos de escola pública conheceu o jogo do Legislativo. Os adolescentes discutiram os problemas do município de 4.400 habitantes e definiram temas que consideravam mais importantes – educação e animais abandonados. Depois, escreveram dois projetos de lei, pediram assinaturas pela cidade e foram à Câmara Municipal. “Chegamos com a galera na Câmara. Eles disseram que queriam protocolar projetos de lei. De alguma maneira, os vereadores vão ter que discutir os temas” conta Amanda Rahra, co-fundadora da Enois.

Neste ano, Denise Curi e Pedro Markun levaram o jogo ao evento Missão Pedagógica no Parlamento em Brasília. O projeto foi apresentado a 60 educadores de escolas públicas de todo o Brasil. “Agora estamos focando especialmente na formação de professores. Acreditamos que o mais importante é que o jogo fique na escola, para não ter que chamar a gente todo ano. O professor pode aprender, colocar dentro da disciplina dele, criar um projeto com outros professores, trabalhar muito com a escola inteira. É um projeto de educação política, para a democracia e a cidadania”, diz Denise.

Há propostas de aplicação do projeto sendo analisadas por prefeituras, instituições de ensino superior, partidos políticos, entre outros. “Tem muitas ONGs e fundações que atuam com educação interessadas. Em São Miguel Paulista (zona leste de São Paulo), querem aplicar com moradores para discutirem as necessidades do bairro. O jogo foi desenhado pensando na escola e no aluno do ensino médio, mas isso não é uma limitação. Podemos falar com adultos, universitários, mestres, doutores, advogados. Alguns deles jogam e dizem ‘nossa, isso aqui eu não sei’”, conta Carla.

O Jogo da Política pode ser baixado gratuitamente do site jogodapolitica.org.br. Há ainda a opção de comprar uma caixa, que sai por R$ 250. Interessados podem contratar capacitações para facilitadores, como a formação de educadores, a oficina de introdução ao jogo e a aplicação da metodologia.



O Fast Food da Política propõe uma abertura de código do sistema político brasileiro e suas inúmeras criptografias, através da gamificação. Acreditamos que se a política puder ser divertida, o contato com essa coisinha marrenta, pode mover o mundo.

Clique no link abaixo para download dos jogos!!!

http://fastfooddapolitica.org.br/ 


Fonte: http://porvir.org/jogo-simula-atuacao-executivo-legislativo-judiciario-para-ensinar-politica/

terça-feira, 11 de julho de 2017

Crash Course Chemistry - 46 Vídeos - Legendado




The Nucleus: Crash Course Chemistry #1

Hank does his best to convince us that chemistry is not torture, but is instead the amazing and beautiful science of stuff. Chemistry can tell us how three tiny particles - the proton, neutron and electron - come together in trillions of combinations to form ... everything. In this inaugural episode of Crash Course Chemistry, we start out with one of the biggest ideas in chemistry ever - stuff is made from atoms. More specifically, we learn about the properties of the nucleus and why they are important to defining what an atom actually is.

Like CrashCourse? http://www.facebook.com/YouTubeCrashC...
Follow CrashCourse! http://www.twitter.com/TheCrashCourse
Tumbl CrashCourse. http://thecrashcourse.tumblr.com


Crash Course Chemistry - 46 Vídeos - Legendado  


quinta-feira, 6 de julho de 2017

Estão abertas as inscrições para o curso de Pós-Graduação em Gestão Pública à Distância - IFSC - EAD - POLO UAB SÃO JOSÉ - SC - Totalmente gratuito!








Estão abertas, no período de 05/07 a 30/07/2017, as inscrições para o Processo Seletivo para ingresso no Curso de  Pós-Graduação em Gestão Pública IFSC - EAD - POLO UAB SÃO JOSÉ - SC, na modalidade de ensino a distância, de acordo com o Edital abaixo.


Os  encontros presenciais ocorrerão as quartas-feiras no período noturno. 

Aproveite esta oportunidade! São 50 vagas!

Fonte: http://www.ifsc.edu.br/arquivos/ingresso/editais/EDITAL_18_2017_2_POS_CERFEAD_UAB.pdf

Where is cybercrime really coming from? | Caleb Barlow - De onde realmente vem o crime cibernético? | TED



Cybercrime netted a whopping $450 billion in profits last year, with 2 billion records lost or stolen worldwide. Security expert Caleb Barlow calls out the insufficiency of our current strategies to protect our data. His solution? We need to respond to cybercrime with the same collective effort as we apply to a health care crisis, sharing timely information on who is infected and how the disease is spreading. If we're not sharing, he says, then we're part of the problem. 

O crime cibernético arrecadou US$ 450 bilhões em lucros no ano passado, com 2 bilhões de registros perdidos ou roubados em todo o mundo. O especialista em segurança Caleb Barlow alerta sobre a insuficiência de nossas estratégias atuais para proteger nossos dados. A solução dele? Precisamos responder ao crime cibernético com o mesmo esforço coletivo que aplicamos a uma crise de saúde, compartilhando informações oportunas sobre quem está infectado e como a doença está se espalhando. Se não estamos compartilhando, ele diz, então somos parte do problema.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

[SID 2017] EMPRESAS: Desafios e soluções para uma Internet mais segura




NICbrvideos

O Dia da Internet Segura foi promovido mundialmente em 7 de fevereiro de 2017.

Em São Paulo, o CGI.br, NIC.br, e SaferNet Brasil, com parceria Google, promoveram um dia de atividades que contou com lançamento de Guias educativos, divulgação de estatísticas, vídeos sobre segurança on-line produzido por youtubers e debates com especialistas.

Mais informações em http://www.safernet.org.br/site/sid2017.


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=raJKbb_CFNE 

Crash Course Biology - 40 Vídeos - Legendado



That's Why Carbon Is A Tramp: Crash Course Biology #1 

And thus begins the most revolutionary biology course in history. Come and learn about covalent, ionic, and hydrogen bonds. What about electron orbitals, the octet rule, and what does it all have to do with a mad man named Gilbert Lewis? It's all contained within.

Like Crash Course on Facebook: http://www.facebook.com/YouTubeCrashC...
Follow Crash Course on Twitter: http://www.twitter.com/thecrashcourse



Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=QnQe0xW_JY4&list=PL3EED4C1D684D3ADF&t=1s&index=1 

https://www.youtube.com/playlist?list=PL3EED4C1D684D3ADF 

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Global Kids Online – Crianças e Adolescentes na Era Digital:novas evidências e implicações para políticas públicas CGI.br e NIC.br, em conjunto com o UNICEF Brasil e a Safernet Brasil [Português] e Inglês



Audio Português

Audio Inglês
https://www.youtube.com/watch?v=l6EJnmfQjdI

Painel: Global Kids Online – novas evidências e implicações para políticas públicas [Português]

O Seminário “Crianças e adolescentes na era digital: perspectivas para as políticas públicas” foi promovido no dia 4 de abril de 2017, em São Paulo, pelo CGI.br e NIC.br, em conjunto com o UNICEF Brasil e a Safernet Brasil, e apoio do Instituto Alana.

Foram apresentadas no evento as experiências internacionais mais recentes relacionadas à produção de conhecimento sobre crianças e adolescentes on-line e sobre como as políticas públicas incorporam essa temática.

Mais informações em: http://cetic.br/seminario-crianca-ado....


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=hVioZI1ikow

Crash Course Physics - 46 Vídeos - Legendado




In this, THE FIRST EPISODE of Crash Course Physics, your host Dr. Shini Somara introduces us to the ideas of motion in a straight line. She talks about displacement, acceleration, time, velocity, and the definition of acceleration. Also, how does a physicist discuss speed as opposed to a police officer? And did you deserve that ticket? You can figure it all out with the help of Physics! 


Crash Course Physics - 46 Vídeos
https://www.youtube.com/watch?v=ZM8ECpBuQYE&list=PL8dPuuaLjXtN0ge7yDk_UA0ldZJdhwkoV


PBS Digital Studios wants to get to know you better! If you have 10 minutes to spare by filling out a survey you'll be doing us a huge favor AND have a chance to win an awesome PBS Digital Studios shirt!


Produced in collaboration with PBS Digital Studios: http://youtube.com/pbsdigitalstudios

Want to find Crash Course elsewhere on the internet?
Support CrashCourse on Patreon: http://www.patreon.com/crashcourse

Crash Course US History - John Green kicks - 46 Vídeos - Legendados



In which John Green kicks off Crash Course US History! Why, you may ask, are we covering US History, and not more World History, or the history of some other country, or the very specific history of your home region? Well, the reasons are many. But, like it or not, the United States has probably meddled in your country to some degree in the last 236 years or so, and that means US History is relevant all over the world. In episode 1, John talks about the Native Americans who lived in what is now the US prior to European contact. This is a history class, not archaeology, so we're mainly going to cover written history. That means we start with the first sustained European settlement in North America, and that means the Spanish. The Spanish have a long history with the natives of the Americas, and not all of it was positive. The Spanish were definitely not peaceful colonizers, but what colonizers are peaceful? Colonization pretty much always results in an antagonistic relationship with the locals. John teaches you about early Spanish explorers, settlements, and what happened when they didn't get along with the indigenous people. The story of their rocky relations has been called the Black Legend. Which is not a positive legend.


 Crash Course US History - John Green kicks - 46 Vídeos
https://www.youtube.com/watch?v=6E9WU9TGrec&list=PL8dPuuaLjXtMwmepBjTSG593eG7ObzO7s


Turn on the captions. You'll like it!

Follow us!
@thecrashcourse
@realjohngreen
@crashcoursestan
@raoulmeyer
@saysdanica
@thoughtbubbler Support CrashCourse on Patreon: https://www.patreon.com/crashcourse


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=6E9WU9TGrec&list=PL8dPuuaLjXtMwmepBjTSG593eG7ObzO7s

9 dicas para professores escolherem recursos educacionais digitais

Nota técnica feita pelo CIEB traz recomendações para educadores que buscam melhorar o processo de seleção de aplicativos, sites e plataformas para o trabalho em sala de aula

por Vinícius de Oliveira 
Pode ser divertido, gratuito, mas sempre existe o risco daquele aplicativo que ganha até um tempo de aula privilegiado não surtir o resultado prometido para melhora do aprendizado. Para evitar que educadores caiam em “armadilhas pedagógicas”, o CIEB (Centro para a Inovação da Educação Brasileira) lançou a publicação “Orientações para Seleção e Avaliação de Conteúdos e Recursos Digitais” (clique para baixar), um novo volume de sua série de notas técnicas, para falar sobre o tema diretamente com quem está na ponta do processo. Trata-se de um documento preparado pela instituição para contribuir com o debate público sobre inovação na educação.



Como publicado pelo Porvir no guia Tecnologia na Educação, a tecnologia permite acesso a uma infinidade de recursos que podem ser usados no processo de ensino e aprendizagem. Para avançar na discussão, o documento do CIEB reforça que é preciso que professores tenham a competência para selecionar os conteúdos e ferramentas mais relevantes para seus alunos. Eles devem ainda estar alinhados aos objetivos de aprendizagem previstos no currículo, ter consistência e fidedignidade, além de serem simples e intuitivos, para que seu aprendizado de uso não impacte o processo de aprendizado do conteúdo.
Levando em conta esses parâmetros, o documento elenca 9 fatores que devem ser levados em conta ao longo do processo de seleção:
1) O conteúdo possui alinhamento com o currículo?
Aqui o professor precisa definir previamente o conteúdo pedagógico para o qual necessita dos recursos e delimitar os objetivos de aprendizagem que deseja alcançar. Feito isso, ele deve analisar se o recurso atende claramente aos objetivos, se está adequado ao público-alvo, se é relevante, preciso e confiável. Por fim, é preciso olhar se as atividades fazem sentido para os objetivos traçados.

2) O conteúdo é de qualidade e adequado ao propósito?
Para responder a essa questão, o professor deve verificar se o conteúdo é central e relevante dentro da experiência de aprendizagem. Objetos como imagens, áudio e vídeos devem ser adequados ao público e ao contexto de uso. Eles também devem ser de qualidade gráfica e sonora que permitam fácil entendimento nas diferentes plataformas. O documento do CIEB alerta, ainda, que devem ser evitados recursos com conteúdos com parcialidade política, religiosa ou étnica, preconceitos, material ofensivo ou omissões.

3) Possibilita métodos pedagógicos inovadores, promovendo engajamento e facilitando o aprendizado?
Um dos benefícios dos conteúdos digitais é a grande variedade de tipos (texto, áudio, vídeo, imagens, páginas de internet interativas, aplicativos e jogos), que oferecem múltiplas oportunidades de escolha para aprender. O professor é quem deve planejar a melhor forma de aproveitar essa diversidade, baseado no perfil dos alunos. Isso pode acontecer por meio de métodos como ensino híbrido, sala de aula invertida, ensino adaptativo, aprendizado através de desafios, projetos, aprendizado personalizado, dentre outros. Na seção glossário, do Porvir, você encontra a definição de cada uma dessas estratégias.

4) Possui formas efetivas de avaliar o aprendizado?
Um recurso educacional deve mostrar se aluno conseguiu ou não alcançar os objetivos de aprendizagem propostos. Isso pode ser feito através de pequenas atividades incorporadas em diferentes etapas, de uma avaliação informal ao final, de uma autoavaliação ou através de atividades em pares e em grupos. Também é possível fazer uma avaliação formal, que mede o nível de desenvolvimento alcançado pelo aluno durante e/ou após o uso do recurso em comparação ao seu conhecimento prévio.

5) É fácil de usar?
Um bom recurso não deve demandar manuais ou orientações para ser usado. Além disso, o tempo que os alunos precisam se dedicar para entender como ele funciona não pode ser maior do que aquele requerido para aprender o conteúdo pedagógico. Uma recurso com boa usabilidade tem imagens e ícones que seguem convenções. Ele deve funcionar de maneira consistente em diferentes dispositivos e ter design agradável.

6) Funciona com os sistemas disponíveis na sua rede/escola?
É indispensável que o professor conheça os sistemas de sua rede ou escola, principalmente o Ambiente Virtual de Aprendizado (caso exista), porque tanto o uso do recurso quanto o acesso aos resultados das atividades depende dessa integração.

7) A infraestrutura disponível em sua rede/escola é suficiente para o uso do recurso?
É importante que o professor conheça as tecnologias presentes em sua rede/escola, saiba quais são as mais usadas pelos alunos e verifique se os requisitos mínimos do recurso, ou tecnologias suportadas por ele, estão sendo atendidos. Entre outros fatores, ele deve se atentar para: o tipo de dispositivo (computador, tablet ou smartphone); velocidade da conexão com a internet da escola e dos alunos; sistema operacional (iOS, Android, Windows, MAC…); navegador (Internet Explorer, Chrome, Firefox…); disponibilidade de softwares (Word, Excel…); e tamanhos de tela (resolução). No caso de plataformas que rodam online, o educador ainda pode verificar se também existe possibilidade de uso off-line, se a conexão da escola não for suficiente. Também é importante verificar as garantias de segurança e políticas de privacidade relativas aos dados dos usuários e se elas não violam os dados e a privacidade dos alunos.

8) Possui funcionalidades para inclusão e acessibilidade?
Aqui o professor deve verificar se o recurso possui funcionalidades que atendem o uso por alunos com deficiência. As necessidades podem variar, mas pode-se destacar características como: interfaces simples, fáceis de usar, com possibilidade de adaptar o tamanho das fontes, cores de letras e fundo de tela, legendas ou áudio opcional de todo o conteúdo, incluindo descrição de imagens, além de guia de uso para alunos.

9) Busque referência e compartilhe
O professor deve buscar referências sobre a reputação do autor, da instituição ou empresa que está fornecendo o recurso, pois elas podem funcionar como um indicador importante de qualidade. Caso não haja referências, será necessário procurar outros recursos do mesmo autor, instituição ou empresa. Ele pode conversar com outros professores que já utilizaram – isso ajuda a entender os principais pontos fortes e fracos do recurso e do fornecedor.

– 300 aplicativos educacionais abertos para usar em sala de aula– Como estudar online para o Enem 2017

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Crash Course Astronomy - 47 vídeos - Legendado


Introduction to Astronomy: Crash Course Astronomy #1


Welcome to the first episode of Crash Course Astronomy. Your host for this intergalactic adventure is the Bad Astronomer himself, Phil Plait. We begin with answering a question: "What is astronomy?" 

Crash Course Astronomy - 47 vídeos Link

Table of Contents:
What is Astronomy? 3:00
Who Studies Astronomy? 3:50
Origins & Developments 6:52

--

PBS Digital Studios: http://youtube.com/pbsdigitalstudios

Follow Phil on Twitter: https://twitter.com/badastronomer

Want to find Crash Course elsewhere on the internet?
Facebook - http://www.facebook.com/YouTubeCrashC...
Twitter - http://www.twitter.com/TheCrashCourse
Tumblr - http://thecrashcourse.tumblr.com
Support CrashCourse on Subbable: http://subbable.com/crashcourse

--

Photos:
http://commons.wikimedia.org/wiki/Fil...
http://en.wikipedia.org/wiki/Earth%27...
http://en.wikipedia.org/wiki/Geomagne...
http://en.wikipedia.org/wiki/Saturn#m...
http://en.wikipedia.org/wiki/243_Ida#...
http://commons.wikimedia.org/wiki/Fil...
http://solarviews.com/raw/comet/kuipe...
http://solarviews.com/cap/comet/kuipe...
http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...
http://en.wikipedia.org/wiki/Black_ho...
http://commons.wikimedia.org/wiki/Fil...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...
http://upload.wikimedia.org/wikipedia...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...
http://www.esa.int/spaceinimages/Imag...
http://en.wikipedia.org/wiki/Andromed...
http://en.wikipedia.org/wiki/Triangul...
http://en.wikipedia.org/wiki/Hubble_S...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...
http://en.wikipedia.org/wiki/Nicolaus...
http://en.wikipedia.org/wiki/Tycho_Br...
http://en.wikipedia.org/wiki/Johannes...
http://en.wikipedia.org/wiki/Isaac_Ne...
http://en.wikipedia.org/wiki/Galileo_...
http://www.slate.com/blogs/bad_astron...

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=0rHUDWjR5gg